P e d e s t r i a n i s m o

     
 
P e r c u r s o s - 2 0 12

 

Rota dos Reis

Rota do Entrudo

Rota das Aldeias Perdidas

Rota dos Moinhos

Rota do Douro-Sul

Rota D'EL REI

Rota do Balsemão

Rota dos Remédios

Rota das Vindimas

Rota de Cister (S.João de Tarouca - Salzêdas)

Rota da Castanha

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ROTA DOS REIS 2012 - 15 de Janeiro


A Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego iniciou no domingo, dia 15 de janeiro, o seu calendário de percursos pedestres para o corrente ano, com a Rota dos Reis.
Na avenida Visconde Guedes Teixeira, local de partida e chegada, pelas 8:30 horas, compareceram 14 corajosos caminheiros. Devido ao frio e ao tempo húmido que se fazia sentir, com o céu muito encoberto a ameaçar chuva, a adesão a este evento não foi a melhor.
Assim, o grupo de caminheiros avançou no terreno adotando, desde logo, um forte ritmo de passada, como forma de afastar o frio do corpo.
Sabíamos que a chuva haveria de vir e, ainda em Medelo, as primeiras pingas fizeram-se sentir, obrigando-nos a colocar capas impermeáveis. Na dura subida de Penude-de-Baixo à Serra das Meadas,  a chuva fez-se sentir com mais intensidade, não permitindo qualquer paragem e levando-nos a avançar rapidamente para não arrefecermos.
Caminhámos duas horas sem parar e, já na Serra das Meadas, pelas 10:30 horas,  abrigámo-nos num telheiro, junto ao parque de merendas, para descansar um pouco, sacudir as capas encharcadas e beber algumas bebidas quentes que, prudentemente,  transportávamos nas mochilas.
Recuperadas algumas forças, retomamos a marcha, agora de regresso a Lamego. Descemos a serra, passando pela Aldeia de S. João, enquanto a chuva dava finalmente tréguas e, uma hora depois da paragem, concluíamos o percurso, satisfeitos e desejosos de um banho quente.
 Este evento teve o apoio das seguintes entidades: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; CAOS de Lamego; Amigos de Ferreiros A.C.D. e Câmara Municipal de Lamego.
Se gosta de caminhar na natureza, não deixe de participar no dia 19 de Fevereiro na Rota do Entrudo. Toda a informação que necessita para participar neste evento, estará disponível, brevemente, nesta página.

Rui Ramos

 
Fotos dos caminheiros Tó Silva e Helder Silva
Aplicação GPS do Percurso

 

Topo

 

 

 

ROTA DO ENTRUDO 2012 - 19 de Fevereiro


A Rota do Entrudo foi presenteada com um excelente dia para caminhar, cheio de sol, mas com a temperatura fria da época (nada que um bom agasalho não solucionasse). Assim, após breve briefing, cerca de quatro dezenas de caminheiros partiram, pelas 9:00 horas de domingo, 19 de fevereiro, junto ao coreto da Vila de Lazarim – localidade famosa pelo seu carnaval –, em direcção a Parafita. Este trilho é um dos seis da rede de percursos pedestres da autarquia lamecense.
Enérgicos, galgámos a subida até Parafita, onde fomos muito bem recebidos pela população anciã, satisfeita pela quebra da habitual calmaria com que, aparentemente, passa os dias. Aqui, a organização, fez uma pequena alteração ao percurso original. Fugiu ao alcatrão e desviou o grupo por um estreito trilho de terra que levou o grupo diretamente até à etapa seguinte, o troço para Mazes. Neste caminho, junto a uma ribeira e às portas de Mazes, parámos finalmente, após uma hora e meia a caminhar, para descansar e comer alguma coisa.
A paragem de cerca de meia hora foi tempo suficiente para aliviarmos as pernas e nos deliciarmos com algumas iguarias gastronómicas que alguns caminheiros transportavam nas suas mochilas – alheiras, chouriços, moiras, tudo assado nas brasas, acesas em três tempos.
Prosseguimos a marcha e logo estávamos na linda aldeia de Mazes. Saudámos aqui e acolá quem se foi cruzando connosco e aproveitámos para tomar café num estabelecimento local.
Lazarim era agora o nosso destino e, a pouco e pouco, trilhámos o caminho de regresso, chegando à vila por volta das 12:00 horas. No centro, vários feirantes negociavam os seus produtos – artesanato, biscoito da teixeira, licores regionais, bebidas, etc. Entabulámos conversa com alguns habitantes que nos falaram orgulhosamente do seu típico e genuíno carnaval, famoso pelas máscaras de madeira esculpidas por hábeis artesãos, com que dissimulam o rosto visando alimentar a rivalidade entre os sexos, associando-lhe também alguma crítica social.
Retornámos às nossas viaturas, tendo os caminheiros manifestado o seu agrado pela manhã bem passada, prometendo participar na próxima caminhada agendada para o dia 18 de Março, “Rota das Aldeias Perdidas”. Toda a informação de que necessita para participar neste evento estará disponível, brevemente, nesta página.

Esta foi mais uma organização da Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego com o apoio das seguintes entidades: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D. e Câmara Municipal de Lamego.

 Rui Ramos

 

Fotos do Caminheiro Tó Silva
 
Video
 
Carta do Percurso
Cartaz pdf Rota do Entrudo

 

Topo

 

 

 

 

 

ROTA DAS ALDEIAS PERDIDAS 2012


Iniciámos a Rota das Aldeias Perdidas, como previsto, no domingo, dia 18, em Várzea da Serra às 9:00 horas, um dia frio e a ameaçar chuva que acabou por não cair. Após breves recomendações por parte da organização, o numeroso grupo de caminheiros partiu em direcção à nascente do rio Varosa, primeira etapa do percurso. Não demoramos muito a chegar, pois a nascente dista cerca de 3 quilómetros de Várzea, em direcção a Almofala. O local está assinalado com uma rocha onde se encontra a inscrição “Varosa” e é uma zona pantanosa onde se avista água à flor da terra. O rio nasce aqui, passa por Almofala, Bustelo, S. João de Tarouca, Mondim da Beira, Ucanha, Sande (Barragem) e desagua na margem esquerda do Rio Douro, em frente à cidade do Peso da Régua. É famoso pela qualidade do seu peixe (truta e bordalo).


Rumámos, de seguida, a Anta de Mazes. A serra encontra-se “povoada” por aerogeradores e rasgada por estradões que lhe dão acesso. Assim, aproveitámos estes caminhos para, confortavelmente, avançarmos no terreno, admirando a vegetação essencialmente arbustiva onde predomina o tojo, as urzes vermelha e branca, a queiró, o sargaço branco, a giesta branca e a carqueja. Alguns caminheiros, conhecedores das propriedades destas plantas, colheram e guardaram nas suas mochilas algumas amostras.


Cerca das 11:00 horas, chegámos à Anta de Mazes, uma aldeia de casas de granito, completamente abandonada, que não deixa ninguém indiferente, pois o silêncio e a ausência de população conferem ao local uma aura de mistério. Aproveitámos para fazer uma pausa para descansar, comer e admirar o casario.
Após a habitual fotografia de grupo, seguimos caminho, agora de volta a Várzea da Serra. Uma vez que tinhamos agendado uma visita às igrejas da localidade, quando chegámos à povoação procurámos o seu pároco, Sr. Padre Matias, para que nos franqueasse as portas dos templos, conforme combinado. Assim foi. Visitámos primeiro a igreja velha, que sofreu recentemente um importante restauro que lhe restituiu o esplendor de tempos idos. De seguida, visitámos a igreja nova, um templo imponente e muito bem cuidado, que nos impressionou bastante. Estão de parabéns pois, o povo de Várzea da Serra e o Sr. Padre pelo cuidado com que tratam a sua terra.


Regressámos finalmente às viaturas, satisfeitos pelos momentos passados em contacto com a natureza.
Dados do nosso GPS apontam para: 14,560 Kms percorridos à velocidade média de 3,80 Km/h em 3h 56m e 44s.. 

Já no dia 25 de Março poderá caminhar na Rota das Cerejeiras em Flor, em Ferreiros, promovido pela “Amigos de Ferreiros” – Associação Cultural e Desportiva.


Dia 22 de Abril poderá juntar-se a nós na Rota dos Moinhos. Não deixe de participar.


Este foi mais um evento organizado pela Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego, em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego, Lamego Convida, Ginásio House of Fitness, Grupo Caminhar- Facebook, Câmara Municipal de Lamego e “Amigos de Ferreiros” – Associação Cultural e Desportiva.

Rui Ramos

 

Fotos do Caminheiro Tó Silva
 
Vídeo
 
Explore a aplicação dinâmica do Percurso
Ver pdf

 

Topo

 

 

 

ROTA DOURO-SUL - 26 DE MAIO DE 2012


O dia amanheceu lindo, embora com algumas nuvens no céu a lembrar que a chuva podia aparecer durante a Rota Douro-Sul, passeio pedestre de Grande Rota, com cerca de 30 km, marcado para sábado, dia 26 de maio, em Lamego.
Ainda não eram 8:00 horas e já se viam caminheiros na Avenida Visconde Guedes Teixeira, Lamego. A concentração estava marcada para as 8:30, mas os grupos vieram de longe e chegaram cedo, desejosos de conhecer estas belas paisagens. Estiveram connosco, entre outros, o grupo CAOS - Círculo de Atividades Oxigénio e Sol - de Coimbra e o grupo Caminhar de Lisboa, Santa Maria da Feira e Viseu.
Num breve “briefing”, a organização fez as recomendações necessárias para o bom andamento de um evento desta natureza, informando também os presentes do apoio que seria prestado, em vários pontos de controlo, ao longo da caminhada, por uma viatura.
Prestados todos os esclarecimentos e feitas todas as recomendações, era então tempo de iniciar a marcha. Eram 9:00 horas, quando cerca de 3 dezenas de bons caminheiros, deram início à longa caminhada.
Atravessamos a cidade e subimos à Serra das Meadas, via aldeia de S. João, num ritmo forte, que não era o mais adequado para o arranque e que originou algumas “queixas” dos caminheiros. Fizemos a primeira paragem na capela da Nossa Senhora da Serra e, como a chuva resolveu aparecer, abrigámo-nos temporariamente debaixo das suas telhas. Aproveitámos para apreciar a paisagem, visualizar a cidade de Lamego ao fundo, tirar umas fotos e comer o famoso biscoito da Teixeira, cozido nessa mesma manhã no Bairro da Ponte – Lamego, no forno da Dona Alzira que muito gentilmente enviou algumas “latas” pelo caminheiro Hélder Silva para que todos pudessem apreciar este produto característico.
Partimos depois em direção ao Parque Biológico da Serra das Meadas e de seguida rumámos ao parque eólico, onde haveríamos de iniciar a descida até S. Martinho de Mouros.
Maravilhosa a encosta do Douro, repleta de flores silvestres, próprias desta estação do ano! Caminhávamos num lindo tapete natural de flores, pelo que as máquinas fotográficas não puderam deixar de registar o local idílico. Avançámos e, conforme nos afastávamos da serra para nos aproximarmos da aldeia de Testamento, surgiram as quintas repletas de cerejeiras cujos frutos maduros deliciaram os caminheiros. Até S. M. de Mouros, foi “depenicar aqui e acolá”, não resistindo aos deliciosos frutos que teimavam em aparecer diante dos nossos olhos.
Por volta das 13:00 horas, com cerca de 15,5 km percorridos, chegámos à Igreja Matriz de S. M. Mouros, onde nos aguardava o sacristão para nos franquear as portas do secular templo e guiar a visita. O tempo passava e os estômagos davam sinal, pelo que rumámos então ao parque de merendas da vila, situado no centro. Pelo caminho, a chuva chegou em força, o que nos obrigou a avançar para o plano B, almoçar nas instalações da Junta de Freguesia. Uma simpática funcionária abriu-nos as portas do salão, onde convivemos e partilhamos as nossas merendas. Os nossos agradecimentos ao Sr. Presidente de Junta de Freguesia de S. Martinho de Mouros, pelo acolhimento.
Durante esta paragem, o caminheiro Aniceto, enfermeiro oficial da organização, efetuou algumas medições de tensão arterial, constatando que em geral, todos se encontravam em condições de prosseguir o itinerário, não fosse a caminhada um excelente exercício para regular a tensão. Exemplo disso foi um pedestrianista de 76 anos, que nos acompanhava, conseguindo, na maior parte do percurso, melhor prestação que outros com metade da sua idade. Impressionante!
Tomado um café, houve ainda tempo para fazer uma breve visita a outra igreja da mesma localidade, finda a qual encetamos o regresso a Lamego com mais uma subida, de novo até ao parque eólico da Serra das Meadas. Continuámos e, mais à frente, parámos para admirar a magnífica paisagem do Alto Douro, no miradouro de Nossa Senhora de Fátima, de onde se avistava o majestoso rio Douro. Depois de Vila Verde, iniciámos uma tremenda subida, que levou cerca de 3 horas a vencer, até ao parque eólico de Fonte da Mesa. Ultrapassada mais esta etapa, faltava agora trilhar os últimos quilómetros até Lamego, o que fizemos, mas desta vez, descendo até Penude de Baixo e seguindo por Medelo.
Passava já das 19:00 horas quando chegámos a Lamego, ao local de onde partíramos dez horas antes, concluindo assim o circuito de cerca de 33 km percorridos (contabilizados no GPS).
Entre estes bravos caminheiros, estava a Sra. Vereadora do Desporto da Autarquia Lamecense, Dra. Margarida Duarte, presença muito valorizada pelos caminheiros, pois para além de ter contribuído para a promoção do evento, participou ativamente no mesmo.
No final, o grupo reuniu-se no Café Diogo, no típico Bairro da Ponte em Lamego, para um jantar convívio com algumas iguarias regionais, durante o qual os pedestrianistas manifestaram o seu agrado à organização deste evento, ficando a promessa de um regresso breve.
Se também gosta de caminhar, não deixe de participar, no dia 10 de junho, na Rota Varandas dos Douro, organizada pela Amigos de Ferreiros - Associação Cultural e Desportiva.
A organização deste evento foi da responsabilidade da Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego e do grupo CAOS – Lamego, contando também com o apoio do Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D., Junta de Freguesia de S. Martinho de Mouros e Câmara Municipal de Lamego.
Por último, agradecemos à firma Lúcio Fernandes & Filhos, Lda, pela cedência da viatura de apoio, não podendo deixar de reconhecer a prestimosa colaboração do Sr. António Janeiro, condutor da referida viatura, cuja paciência e disponibilidade foram uma constante.

Rui Ramos

 
Fotos do Caminheiro Tó Silva
 
Vídeo
 
 
Explore a aplicação dinâmica do Percurso
Clique para ver em pdf
 

 

Topo

 

 

 

ROTA DOS MOINHOS 2012 - 22 DE ABRIL

 

No domingo, dia 22 de abril, cerca de trinta caminheiros concentraram-se à entrada da típica aldeia de Mazes – concelho de Lamego, para trilhar o percurso da Anta de Mazes ou Rota dos Moinhos. Após uma semana de intensa chuva, o dia amanheceu encoberto, poupando os participantes de caminhar debaixo de chuva.
Dada a partida, o grupo embrenhou-se na aldeia para, a meio da povoação, seguir a placa “Moinhos da Faia”, pois este percurso é um dos seis marcados pela autarquia lamecense e que fazem parte da rede municipal de percursos pedestres.
O trilho estreitou rapidamente, obrigando mesmo a seguir em fila indiana e, com o aproximar da ribeira de Tarouca - que nasce em Várzea da Serra - surgiram os moinhos, construções rústicas, mais ou menos bem conservadas e que fizeram as delícias dos caminheiros que aproveitaram para registar o local nas suas máquinas fotográficas.
Dali, partiu-se em direção a Anta de Mazes, tendo os pedestrianistas que trepar a montanha por entre rochas e vegetação, obstáculo que todos ultrapassaram, alcançando então a linda povoação abandonada, onde aproveitaram para descansar e comer alguma coisa. O grupo do ginásio House of Fitness, nossos parceiros nestes eventos, acendeu uma fogueira e assou alguns enchidos regionais que transportavam nas mochilas. Foi um momento de convívio muito agradável.
Estava concluído mais de metade do trajeto e era hora de regressar. De volta ao caminho, iniciou-se a descida até Mazes onde, cerca das 12:00 horas, terminava a caminhada.
Os participantes manifestaram o seu agrado pela manhã bem passada e todos mostraram interesse em participar na próxima caminhada agendada para o dia 26 de maio - a “Rota Douro-Sul - que será de “Grande Rota”, num total de cerca de 30 kms, a percorrer ao longo de sábado.

Este foi mais um evento organizado pela Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego, em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego, Lamego Convida, Ginásio House of Fitness, Grupo Caminhar- Facebook, Câmara Municipal de Lamego, Inovterra - Associação para o Desenvolvimento Local e “Amigos de Ferreiros” – Associação Cultural e Desportiva.

Rui Ramos


 
Fotos do Caminheiro Tó Silva
 
Fotos do Caminheiro Helder Silva (clique para ver)

 

Percurso

ver
 
Altimetria e Temporização

 

 

Topo

 

 

 

ROTA D'EL REI - 17 de junho

Apesar de todas a previsões meteorológicas anunciarem chuva para a manhã de domingo, dia 17 de junho, tal não se confirmou e o dia apresentou-se quente e solarengo, fator que contribuiu para levar muitos caminheiros para junto da sede do Ténis Clube de Lamego (no edifício da Junta de Freguesia de Vila Nova do Souto D’el Rei), dispostos a trilhar a Rota D’el Rei.
Pelas 9:00 horas, depois da organização fazer as necessárias recomendações, iniciámos a descida que nos haveria de levar ao rio Balsemão, onde umas poldras nos facilitaram a sua travessia. Enquanto caminhamos, respeitamos a natureza, não deixando “rasto” da nossa passagem na fauna e na flora. No entanto, às vezes, também nós somos surpreendidos e, já perto do rio, o grupo avistou uma enorme cobra que procurava escapar aos nossos olhares, trepando um muro. Foi um momento de ansiedade, que perturbou os mais sensíveis e maravilhou outros.
Passado o rio, subimos até às portas de S. Martinho do Souto onde derivámos para Juvandes, por um comprido e íngreme trilho que fez “alongar” o grupo. Vencido este obstáculo, parámos já em Juvandes para comer alguma coisa e descansar um pouco, tempo que aproveitámos também para uma visita à bem preservada capela daquela localidade, no adro da qual fizemos a foto de grupo.
O regresso foi feito numa elevada passada o que nos levou a concluir este passeio por volta das 11:30 horas! Para que compreenda porquê, deixamos aqui alguns dados registados no nosso GPS:

Distância percorrida:10,830 metros;

hora de partida: 9:00 horas;

hora de Chegada: 11:28 horas;

velocidade média de deslocação: 4,14 Kph;

altitude mínima: 634 metros;

altitude máxima: 894 metros;

calorias consumidas: 681(em média).


Este foi mais um evento organizado pela secção de pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego  em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D., Junta de Freguesia de Vila Nova do Souto D’el Rei, Inovterra Associação para o Desenvolvimento Local  e Câmara Municipal de Lamego.

Rui Ramos

 

Fotos do Caminheiro Tó Silva

 
Vídeo
 
Mapa GPS da Rota D'el Rei 2012

 

 


 
Topo

 

 

 

ROTA DO BALSEMÃO - 2012



 

A secção de pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego, em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D;  Inovterra,  Associação para o Desenvolvimento Local  e Câmara Municipal de Lamego, realizou no dia 22 de julho a "Rota do Balsemão".
Partindo de Lamego, um numeroso grupo de caminheiros calcorreou os belos trilhos da Rota do Balsemão, com passagem por locais como: Souto Côvo, Sande, Barragem do Varosa, Capela do Balsemão e Bairro da Ponte.
Constituiu ponto alto do percurso, a visita à capela do Balsemão, cuja fundação remonta ao período da Reconquista Cristã (século X), classificada como Monumento Nacional desde1921, tendo sofrido recentemente trabalhos de beneficiação. Apesar de ser o seu dia de folga, Dona Prazeres, a “guardiã do templo” franqueou as portas aos caminheiros que se maravilharam com o que viram!
Após descanso e fotos, encetaram o regresso a Lamego, tarefa nada fácil devido ao grande desnível que foi necessário vencer.
Dia 19 de Agosto, junte-se a nós na Rota dos Remédios, visite a nossa página em www.tenisclubelamego.com e recolha as informações necessárias.

 

Fotos dos Caminheiros Tó Silva e João Leal

 
 
 
Ver em pdf
Mapa dinâmico do Percurso

 

 

Topo

 

 

ROTA dos REMÉDIOS

Foi com entusiasmo que, na manhã de domingo, dia 19 de agosto, um numeroso grupo de caminheiros se perfilou para trilhar a Rota dos Remédios”. O percurso, com um grau de dificuldade baixo, uma vez que não apresentava grandes alterações de altitude, teve início e fim na Serra das Meadas.
Pelas 9:40 horas, num dia bastante quente, mas amenizado pela aragem da serra, o grupo iniciou a marcha e progrediu rapidamente no terreno, saboreando as fragrâncias matinais da flora serrana. Após hora e meia de andamento consecutivo, os caminheiros chegavam ao Parque Biológico da Serra das Meadas, onde tinham visita garantida pela organização na qual se inclui a autarquia lamecense. Após terem aguardado a devida ordem de entrada, deliciaram-se com o parque que, para além dos belos animais selvagens, lhes garantiu reconfortante frescura e sombra graças à frondosa vegetação. Aproveitaram, então, estas excecionais condições para merendar e fazer a “foto de família”, de forma a eternizar o belo momento, findo o qual encetaram o regresso às viaturas, onde chegaram pelas 12:30 horas.
De uma forma geral, a caminhada foi do agrado de todos, incluindo alguns estreantes nestas andanças ou menos experientes, que ficaram com vontade de repetir. Assim, se gosta de caminhar, poderá fazê-lo já no dia 1 de setembro com a Caminhada “Varandas do Douro à Serra”, que vai ter lugar na freguesia de Ferreiros, pelas 17.30 horas, organizada pela Associação Amigos de Ferreiros.
Dia 9 de setembro, a “3ª Marcha e Corrida MULHER DURIENSE”, é uma iniciativa solidária que pretende homenagear a Mulher e motivar para a prática de atividade física de uma forma regular e saudável e que contará com Vanessa Fernandes como a madrinha deste evento, visite http://www.mulherduriense.cml-marchacorrida.org, para mais informação.
Por último, recomendamos a “Rota das Vindimas”, a realizar no dia 23 de setembro, que terá lugar na freguesia de Samodães, proporcionando aos caminheiros momentos únicos de contemplação de uma paisagem inigualável nesta época do ano, graças os vinhedos que cobrem as encostas do Douro. Ver www.tenisclubelamego.com.
Esta foi mais uma organização da secção de pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego,  em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D;  Inovterra,  Associação para o Desenvolvimento Local  e Câmara Municipal de Lamego.

Rui Ramos

 

Fotos do Caminheiro Tó Silva
 
 
 
Ver em pdf

 

Topo

 

 

ROTA DAS VINDIMAS 2012

Chovia intensamente, por volta das 9:00 horas de domingo, dia 23 de setembro, na Freguesia de Samodães - Lamego, no entanto duas dezenas de valentes caminheiros fizeram questão de trilhar o percurso proposto pela secção de pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego e que é considerado um dos mais bonitos da rede municipal lamecense.
Iniciámos o caminho descendo pela povoação e rapidamente nos vimos embrenhados nos socalcos do Douro, por entre vinhas carregadas de uvas maduras.

Durante a descida, a chuva parou e deu lugar ao Sol. Mas que bela surpresa! Já tínhamos interiorizado que seria uma caminhada “molhada”, mas S. Pedro assim não quis! Avançámos, então, pelos vinhedos húmidos que refletiam o Sol mas suas tonalidades vivas. Ar limpo, Sol e claridade, as condições ideais para a fotografia e uma paisagem maravilhosa, única no mundo. Ficámos encantados!

Neste percurso, fomos acompanhados por um caminheiro especial, o Sr. António Carvalho que, sendo residente e natural de Samodães, foi um excelente cicerone durante a caminhada, dando a conhecer alguns costumes da vindima do Douro que ele próprio vivenciou.

Por volta das 10:00 horas, chegávamos à margem do rio onde um iate navegava calmamente. Na outra margem, o comboio vindo do Porto prosseguia a sua viagem em direção a Régua. Um olhar mais atento dos caminheiros descobriu pegadas recentes de uma vara de javalis, o cheiro ainda pairava no ar e os estragos na vegetação eram evidentes.
Já no famoso Vale Abraão, fizemos uma pequena paragem junto à quinta, de onde se avistava o seu belíssimo solar, destacado entre a vinha e o arvoredo que lhe está por detrás. Agustina Bessa-Luís inspirou-se neste edílico local para escrever “ Vale Abraão ”, adaptado para o cinema pelo cineasta Manoel de Oliveira, (…) ” Em Vale Abraão, não há senão cores (todas as da natureza), sons (todos os do mundo), cheiros (como os cigarros que Ema aspira), música, gestos, formas, deslocamentos…” (…).

Estava na hora de subir e regressa ao ponto de partida e foi o que fizemos durante hora e meia, mas a paisagem era tão bela que ninguém se apercebeu do elevado grau de dificuldade do trilho onde tivemos oportunidade de provar frutos como uvas, figos, maçãs! Divinal!

Já perto do meio dia, chegávamos a Samodães, onde o Sr. José Carlos, presidente da Junta de Freguesia nos esperava para nos presentear com um belo lanche! Na sala ao fundo, podíamos ler, “Bem-vindos – Samodães Saúda-vos”! Os nossos sinceros agradecimentos.

Resta acrescentar que este percurso, com cerca de 7 km, está classificado com um grau de dificuldade médio devido à acentuada subida que fizemos no regresso. Aconselhamos que o façam devagar, desfrutando de tudo aquilo que ele nos pode dar. E é muito!

Esta foi mais uma caminhada da responsabilidade da Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego, em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D;  Inovterra,  Associação para o Desenvolvimento Local, Junta de Freguesia de Samodães  e Câmara Municipal de Lamego.

Rui Ramos

 

Fotos do Caminheiro Tó Silva
 
 
 
Topo

 

 

Rota de Cister - 14 de outubro de 2012

Domingo, 14 de outubro, dia marcado para a realização da Rota de Cister, em Salzedas, amanheceu com uma forte chuvada, afastando muitos caminheiros que se tinham inscrito na caminhada.

Assim, às 8:30 horas, junto ao Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, concentraram-se cerca de 50 caminheiros prontos a trilhar os caminhos de Cister. A Associação Inovterra, coorganizadora do evento, encarregou-se de recolher o donativo acordado na inscrição, entregando ao mesmo tempo uma esferográfica da Liga Portuguesa Contra o Cancro. A Junta de Freguesia da Salzedas distribuiu água e, às 9:00 h, a caminhada teve início, já sem chuva.

O trilho levou-nos até à povoação de Ucanha que se apresenta ao visitante com cara lavada, pois as suas ruas e casario sofreram obras de requalificação, conferindo à centenária povoação admirável e agradável aspeto! O ex-libris de Ucanha é a ponte com a sua torre sobre o rio Varosa. Esta secular ponte fortificada servia para cobrar portagens à entrada no couto do Mosteiro de Salzedas. Demoramo-nos na visita, pois o monumento foi muito apreciado por todos, e alguns aproveitaram para comer a merenda que levavam nas mochilas!

Voltamos ao caminho, deixando Ucanha para trás e, já no monte, fomos surpreendidos com inúmeros frutos silvestres com que nos deliciamos - amoras, abrunhos selvagens, medronhos, etc. De vez em quando, cruzávamos com caçadores e os seus cães, que procuravam freneticamente caça para alimentar o seu passatempo.

Era já perto do meio-dia quando regressámos a Salzedas e, no interior do Templo, ainda decorria a eucaristia dominical. Fomos então visitar o Mosteiro da Santa Maria de Salzedas, conforme proposto no programa da caminhada. O senhor Padre António José Seixeira recebeu-nos com cortesia e proporcionou-nos uma visita guiada, durante a qual ficámos a perceber que o Mosteiro tinha sofrido obras de requalificação, encontrando-se há pouco tempo em condições de receber visitantes. Foi encantadora a forma como explicou aos caminheiros a origem e expansão da Ordem de Cister! No Mosteiro foi possível ver uma cela intacta, a sacristia com os seus maravilhosos móveis em excelente estado de conservação, quadros de Grão Vasco e Pascoal Parente e outras pinturas alusivas a S. Bento “…com os hábitos negros da ordem beneditina(…)” e a S. Bernardo “…com hábitos brancos da ordem de Cister(…)”,  artefactos religiosos em prata e tapeçarias, entre muitos outros objetos. Os nossos sinceros agradecimentos ao Sr. Padre Seixeira.

No final da visita, foram distribuídas aos participantes, pela Inovterra - Associação para o Desenvolvimento Local, lâmpadas economizadoras da EDP.

Os dados recolhidos pelo nosso GPS permitem-nos dizer que caminhamos 9,620 metros a uma velocidade média de 3,35 km/h, numa altitude compreendida entre 508 e 687 metros, em 2h 52m.

Se gosta de caminhar, participe no dia 28 de outubro na Rota da Castanha, com o seguinte programa:
8: 30 - Concentração dos participantes no Complexo Desportivo de Lamego.
8:45- - Início da caminhada.
12:00 – Lanche/Magusto Na sede da Junta de Freguesia de Vila Nova de Souto D’el Rei.
12:30 – Final no Complexo Desportivo de Lamego.
Compareça, não necessita de inscrição.

Este evento foi organizado pela Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego em parceria com a Inovterra - Associação para o Desenvolvimento Local e  em colaboração com: Liga Portuguesa Contra o Cancro; Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Grupo Caminhar – Facebook ; Câmara Municipal de Lamego; Câmara Municipal de Tarouca, Junta de Freguesia de Salzedas e Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

Rui Ramos

 

Fotos dos Caminheiros Tó Silva e Luis Miguel
 
Rota de Cister
 

Mapa dinâmico do Percurso

 
PDF
Topo

 

 

Rota da Castanha - 28 de Outubro

Acreditávamos que ia estar bom tempo e que seriam muitos os participantes na Rota da Castanha e assim aconteceu na manhã de domingo, dia 28 de outubro. Faltavam quinze minutos para as nove horas da manhã de um dia frio, mas ensolarado, quando o numeroso grupo de caminheiros partiu do Complexo Desportivo de Lamego para percorrer os caminhos da freguesia de Vila Nova do Souto D’el Rei. Após caminharem por belos trilhos, chegaram a Juvandes, prosseguindo depois em busca dos castanheiros, que não demoraram a aparecer, vistosos e carregados de frutos, formando um magnífico tapete de folhas e ouriços.

Mais adiante, já junto à A24, fez-se uma paragem no parque de merendas de Vila Nova do Souto D’el Rei, durante a qual todos aproveitaram para descansar um pouco, aconchegando também os estômagos que já reclamavam.
De volta ao caminho, os pedestrianistas trataram de desfrutar da beleza da Natureza, que nesta altura do ano é particularmente encantadora, plena de folhagens multicolores, musgos que exalam cheiros característicos da presença de humidade e, aqui e além, alguns cogumelos, uns comestíveis outros venenosos.

Depois de percorridos 16 km de percurso, durante o qual muitos foram apanhando e comendo castanhas cruas, era já meio-dia e meia quando os caminheiros chegaram à junta de freguesia de Vila Nova do Souto D’el Rei. Esperava-os, à semelhança da edição anterior, um magusto com belas castanhas, jeropiga, vinho, sumos e algumas iguarias da terra, que o Sr. Carlos, presidente daquela simpática freguesia, fez questão de apresentar aos caminheiros, alguns de longínquas paragens. Os nossos agradecimentos à Junta Freguesia de Vila Nova do Souto D’el Rei, por esta receção tão agradável.

Esta caminhada foi mais um evento organizado pela Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego, em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D;  Inovterra,  Associação para o Desenvolvimento local,  Câmara Municipal de Lamego e Junta de Freguesia de Vila Nova de Souto D’el Rei.

No dia 28 de Novembro, participe na “Rota de Inverno”, percurso pedestre com passagens em freguesias do concelho de Lamego, tais como: Lalim, Lazarim, Meijinhos e Melcões, organizado pela Secção de Pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego.

 

Rui Ramos

 
Fotos do Caminheiro Tó Silva
 
Mapa Dinâmico do percurso
 
 
pdf
 
Topo

 

 

Rota de Inverno

 

Rota de Inverno / Atividades do Ténis Clube de Lamego durante 2012

A secção de pedestrianismo do Ténis Clube de Lamego (TCL) em colaboração com: Centro Municipal de Marcha e Corrida de Lamego; Lamego Convida; Ginásio House Of Fitness; Grupo Caminhar – Facebook ; Amigos de Ferreiros A.C.D;  Inovterra - Associação para o Desenvolvimento local e Câmara Municipal de Lamego, realizou no dia 25 de novembro, a Rota de Inverno.

Como as condições climatéricas não eram as melhores, devido ao frio e à chuva, a participação foi reduzida, resumindo-se praticamente ao grupo de caminheiros da organização que, durante a manhã, trilharam o percurso que cruza Lalim, Lazarim, Meijinhos e Melcões, num total de 10 km, sempre debaixo de chuva. Cerca das 12:00 horas davam por terminado o evento.

Com esta caminhada encerramos as nossas atividades para 2012, pelo que entendemos ser tempo de fazer o “balanço” dos nossos eventos.

Assim, ao longo do ano, realizámos doze percursos pedestres e quatro Torneios de Ténis! Não é fácil nos dias de hoje cumprir os objetivos traçados, quando os meios e disponibilidade financeira são cada vez mais parcos. No entanto, com muita carolice, procuraremos repetir estes números em 2013, ano em que celebramos 25 anos de existência!

Este ano, passamos a estar sediados no Edifício da Junta de Freguesia de Vila Nova de Souto d´El-Rei, situação que só foi possível devido à boa vontade e cortesia do presidente desta freguesia, Sr. Carlos Fernandes, que muito nos tem apoiado.
Por último, realizámos eleições de novos Corpos Gerentes para o Triénio 2012/2015, que ditaram o seguinte resultado:
Direção: Presidente – João Diogo; Vice-presidentes – Rui Ramos / José Júlio Duarte; 1º Secretário – Luís Miguel Gonçalves; Tesoureiro – Fernando Oliveira; Vogal – Nuno Figueiredo; Assembleia Geral: Presidente – Acácio Rebelo;1º Secretário – José Ribas Reis; 2º Secretário – Nuno Alfredo Santos; Conselho Fiscal: Presidente: António João J. Silva; 1º Secretário – Artur Rodrigues.

Participe nos nossos eventos, seja ativo!

Rui Ramos

 
 
Mapa dimâmico do percurso
 
Copiar em pdf
 
Topo